Denúncia revela farra de diárias no Conselho Regional de Enfermagem no MA


Rios de dinheiro escorrem de uma infindável fonte: o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-MA). E o grupo que se banha nela se restringe ao grupo composto por conselheiros da entidade e membros da Chapa 3 e da Chapa 6 que disputam as eleições de 2017.

Cada um recebeu, em média, R$ 1.000 mil para viajar para seminários administrativos que deveriam beneficiar funcionários, mas que acabaram servindo para os envolvidos fazerem turismo à custa das anuidades dos profissionais de enfermagem.

De acordo com a denúncia recebida pelo Blog do Michel Sousa, a prática não é ilegal, mas acaba sendo imoral, porque caracterizou desvio de finalidade, uma vez que deveria servir para a qualificação dos funcionários do conselho.

Ainda segundo o a denúncia, o esquema funcionava da seguinte forma: eles colocavam um ou dois funcionários para mascarar a farra e colocavam os nomes de conselheiros para que aproveitassem as viagens em uma espécie de revezamento.

Documentos enviados ao blog mostram os valores exorbitantes para pagar as diárias dos conselheiros – são nomes entre titulares e suplentes (veja abaixo). As cifras referem-se ao ano de 2016.

No topo da lista estão os nomes das pessoas que ocupam cargos na atual diretoria. Para custear apenas as diárias, o Coren-MA repassou mais de R$ 52.490 (R$ 33,500 só com conselheiros) em 2016. Isso sem mencionar os valores colossais gastos com passagens aéreas, que elevam os gastos para valores próximos a R$ 100 mil – isso levando em consideração apenas dois eventos.

A assessoria de comunicação da Chapa 3 enviou uma nota ao blog para esclarecer que profissionais de enfermagem Deusdede Fernandes da Silva e Queila Dutra Sousa, citados na denúncia, nunca receberam diárias de viagem, mas sim auxílios referentes aos serviços prestados a este Conselho.

Ainda de acordo com nota, estes profissionais desenvolveram atividades político representativo e receberam auxílio pelas atividades desenvolvidas. Todas as informações citadas constam no Portal da Transparência, sendo por isso pública.

A chapa ainda destacou que “a denúncia nada mais é do que algo sem fundamento e uma típica tentativa de Chapas concorrentes denegrirem a imagem de pessoas de bem e profissionais de competência na área em que atuam”.

Por fim, a Chapa 3 afirmou que repudia o fato de profissionais de enfermagem serem expostos por outros colegas e reafirma que o objetivo desta campanha é que ao final das eleições, a classe de enfermagem se una em prol da valorização profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: